Marconi Perillo, ex-governador de Goiás, é preso durante depoimento à PF

  • Por Jovem Pan
  • 10/10/2018 16h32
Wilson Dias/ Agência BrasilNo domingo, Marconi Perillo concorreu a uma vaga no Senado e não foi eleito

O ex-governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), prestava depoimento à Polícia Federal em Goiânia, na tarde desta quarta-feira (10), quando teve sua prisão decretada. O tucano é suspeito de ter recebido R$ 12 milhões em propina de empreiteiras nas eleições de 2010 e 2014, após delações da Odebrecht na Operação Lava Jato.

Além do político, que este ano concorreu a uma vaga no Senado Federal, mas não foi eleito, outras cinco pessoas ligadas a ele foram presas: Jayme Rincón, o filho dele, Rodrigo Godoi Rincón, Márcio Garcia de Moura – policial militar e motorista de Rincón –, o empresário Carlos Alberto Pacheco Júnior e o advogado Pablo Rogério de Oliveira.

O caso tramitava no Superior Tribunal de Justiça, mas foi enviado à Justiça Federal de Goiás em abril, após Perillo deixar o governo para se candidatar ao Senado. Mas, antes de o caso sair do STJ, a Procuradoria-Geral da República havia solicitado a quebra de sigilo telefônico de Perillo e Jayme Rincón, ex-tesoureiro de sua campanha.