Saiba quanto recebia em propina cada deputado preso durante a Operação Furna da Onça, no Rio

  • Por Jovem Pan
  • 08/11/2018 19h14
Paulo Carneiro/Estadão ConteúdoDeputados se reuniram na Alerj para discutir a operação deflagrada nesta quinta

Dez deputados do Rio de Janeiro foram presos nesta quinta-feira (8) após a Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF) deflagrarem a Operação Furna da Onça. O esquema, iniciado na segunda gestão do governador Sérgio Cabral (MDB), pagava propinas mensais a parlamentares.

Segundo o MPF, o pagamento resultava em “sobrepreço” de contratos estaduais e também federais. Os parlamentares também eram beneficiados, de forma ilícita, com loteamento de cargos em órgãos públicos do estado. A amante de um deles foi nomeada para cargo em comissão.

A suspeita da PF é que o “mensalinho” tenha movimentado pelo menos R$ 54 milhões. O nome da operação faz referência a uma sala do Legislativo do Rio onde os deputados combinam decisões antes de votarem medidas, momento conhecido como “hora de a onça beber água”.

Saiba quanto cada deputado recebia, segundo o MPF:

  • André Correa (DEM): R$ 100 mil por mês;
  • Chiquinho da Mangueira (PSC): prêmio único de mais de R$ 3 milhões;
  • Coronel Jairo (SD): R$ 50 mil por mês mais prêmio indefinido;
  • Edson Albertassi (MDB): R$ 80 mil por mês e prêmio único de R$ 1 milhão;
  • Jorge Picciani (MDB): R$ 400 mil por mês mais prêmio indefinido;
  • Luiz Martins (PDT): R$ 80 mil por mês mais prêmio único de R$ 1,2 milhão;
  • Marcelo Simão (PP): R$ 20 mil por mês;
  • Marcos Abrahão (Avante): R$ 80 mil por mês mais prêmio único de R$ 1,5 milhão;
  • Marcus Vinicius “Neskau” (PTB): R$ 50 mil por mês;
  • Paulo Melo (MDB): R$ 900 mil por mês mais prêmio indefinido.

*Com informações do Estadão Conteúdo