Suspeito preso por atentado em Bangcoc nega participação em ataque a templo

  • Por Agencia EFE
  • 30/08/2015 13h58

Bangcoc, 30 ago (EFE).- O estrangeiro preso por suposto envolvimento no atentado que matou 20 pessoas em Bangcoc, capital da Tailândia, há quase duas semanas, negou qualquer relação com o ataque realizado contra o templo hindu.

O chefe adjunto da Polícia da Tailândia, Chakrathip Chaichinda, afirmou que o suspeito, que ainda não revelou sua nacionalidade às autoridades, se negou a confessar sua participação no atentado que deixou mais de 120 pessoas feridas, conforme a emissora “TNN”.

As autoridades acreditam que o preso pertence a um grupo de falsificação de passaportes, formado por estrangeiros e tailandeses. O atentado seria uma vingança por uma operação policial contra a organização.

Segundo os investigadores, o suspeito não foi o autor do ataque, mas teria participado de sua preparação.

As autoridades admitiram que estão tendo problemas de comunicação com o detido, que aparentemente fala um pouco de inglês. Por isso, estão em contato com várias embaixadas em Bangcoc para tentar descobrir sua nacionalidade.

A princípio, a Polícia disse que ele portava um passaporte turco, mas depois descobriu que o documento era falso.

O estrangeiro foi preso no sábado, em um apartamento em um distrito no nordeste de Bangcoc, no qual os agentes encontraram material para fabricar bombas. Além disso, eles localizaram alguns componentes utilizados no explosivo detonado no templo de Erawan, situado em um movimentado cruzamento da capital. EFE

grc/lvl