Comentaristas analisam decisão de Moro e “teatro-show” de Lula com a Justiça

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2018 09h11
EFE/Sebastião MoreiraManifestantes apoiadores de Lula durante ato em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, nesta sexta (6)

Marco Antonio Villa, Carlos Andreazza e Augusto Nunes comentaram a demora para o ex-presidente Lula se entregar à Justiça após ter sido decretada a sua prisão.

Andreazza está de “saco cheio” com a história, de férias em Paris e tentando descansar. Ele classifica a situação como um “teatro” e uma “vergonha”. “É o ex-presidente da República condenado em 2ª instância, que controla o momento em que vai ser preso”, diz.

O comentarista criticou a estratégia de Moro de dar um dia para Lula fazer seu “show”. Para ele, foi uma decisão “profundamente equivocada” que criou condições para essa resistência de aliados do petista.

Para Andreazza, Lula deveria ter sido preso, ou às 6h da manhã, ou após o fim dos “embargos dos embargos”. O “meio-termo” encontrado pelo juiz Sergio Moro.

“A percepção é de que Lula passou uma rasteira na Justiça”, conclui.

Augusto Nunes, por sua vez, pondera que “o juiz Sérgio Moro pecou ao agir com elegância com um desqualificado”. Para ele, “a grande culpada é da Polícia Federal”.

Moro entregou ao delegado o poder para negociar os detalhes do embarque para Curitiba até as 17h desta sexta (7). “A PF não ter um plano alternativo para a eventualidade muito viável de ele não se entregar é imperdoável, não dá para entender”, criticou.

Andreazza tem dúvida até mesmo se Lula será preso hoje. “Esse é o ambiente de insegurança que compõe”. Até porque há uma “missa-show” planejada, com apresentações de Leci Brandão, Maria Gadú, Thaíde, entre outros.

“Cadê o Chico Buarque?”, questionam os comentaristas.

Villa brinca: será que Lula vai querer assistir ao jogo de domingo, a final do Campeonato Paulista? O Allianz Parque é perto da sede da Polícia Federal.

Assista aos comentários: