Um outono como nunca se viu

  • Por Jovem Pan
  • 07/07/2017 10h42 - Atualizado em 08/07/2017 12h15
BRA102. BRASILIA (BRASIL), 04/12/2016. - Miles de ciudadanos salieron hoy, domingo 4 de diciembre de 2016, a las calles de Brasilia (Brasil) para mostrar su descontento por la cada vez más evidente corrupción de buena parte del arco político brasileño. En Brasilia unos 4.000 manifestantes, según cálculos de la Policía Militar, se concentraron pese a la lluvia en la Explanada de los Ministerios, frente al Congreso, portando carteles con mensajes tan contundentes como "el pueblo contra la corrupción" o "el poder emana del pueblo". EFE/Joédson AlvesNoticiário de Brasília não deu trégua nas últimas semanas

Nunca se viu e jamais se verá um outono como foi o de 2017 no Brasil. Augusto Nunes cita dez exemplos que fundamentam essa frase:

1)      Sérgio Cabral foi eleito governador alegando que ninguém amava o Rio mais do que ele. A paixão é tanta, que ele resolveu pegar tudo para ele e para a mulher.

Secretaria de Administração Penitenciária

Ex-governador Sérgio Cabral é fichado na Penitenciária de Bangu (Secretaria de Administração Penitenciária)

2)      Na viagem à Rússia, Michel Temer ressuscitou a União Soviética. Na viagem à Noruega, o presidente brasileiro festejou a recepção muito simpática que teve do rei da Suécia.

EFE/Sergei Chirikov

Presidente Michel Temer durante encontro com presidente russo Vladimir Putin em Moscou (EFE/Sergei Chirikov)

3)      Gleisi Hoffmann assumiu a presidência do PT afirmando que é o único partido que respeita a mulher. Só não respeita o Brasil, tanto assim que elegeu para a presidência Dilma Rousseff. E duas vezes.

Reprodução

Não vamos aceitar uma condenação de Lula, disse Gleisi em vídeo (Reprodução)

4)      Lula garantiu que o PT é o único partido que sabe combater a corrupção. A prova disso deve ser a Petrobras.

EFE/Sebastião Moreira

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – EFE

5)      Antonio Palocci ensinou como se calcula quantas cédulas de dólar cabem numa mala de tamanho grande, médio ou pequeno.

EFE/HEDESON SILVA

EFE – Ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci chega a Curitiba para falar à Lava Jato

6)      Em parceria com Wesley Batista, Rodrigo Janot inventou a meia-delação premiadíssima.

Agência Brasil

Rodrigo Janot – Agência Brasil

7)      Gilmar Mendes aproveitou o julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral para inventar a absolvição por excesso de provas.

EFE/Joédson Alves

Ministro Gilmar Mendes durante sessão do TSE que julga pedido de cassação da chapa Dilma-Temer (EFE/Joedson Alves)

8)      Aécio Neves mostrou na conversa com Joesley Batista que sabe falar fluentemente o subdialeto de briga no cortiço.

José Cruz / Agência Brasil

Aécio Neves ficou afastado do cargo de senador, mas já voltou (Agência Brasil

9)      Eunício Oliveira, o Índio do departamento de propina da Odebrecht, está presidente da República.

Marcelo Camargo / Agência Brasil

Eunício Oliveira (Agência Brasil)

10)   Pode ser presidente da República Rodrigo Maia, que perdeu de longe a eleição para a Prefeitura do Rio.

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM) (Agência Brasil)

Há outros exemplos. Mas esses dez bastam.

Assista ao comentário no Jornal da Manhã: