Carlos Andreazza: Não há defesa para o que Ciro fez

  • Por Carlos Andreazza/Jovem Pan
  • 17/09/2018 07h48
ReproduçãoAlguém que quer ser presidente não tem direito àquele comportamento bárbaro

Ciro Gomes, o novo queridinho oficial dos artistas brasileiros, agrediu um jornalistas e mandou que o prendessem. Poder que não tem. É gravíssimo. Ele já fizera algo parecido, na semana passada, relativamente ao general Villas Boas. Disse que, se fosse presidente, o general talvez fosse em cana por suas declarações. Não há defesa para falas autoritárias como essa. Não há defesa para o que Ciro fez. Ainda que o repórter fosse um provocador agindo a mando de um adversário, não interessaria: alguém que quer ser presidente não tem direito àquele comportamento bárbaro.