Denise: Por temer problemas na tramitação da Previdência, Banco Central segura Selic

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2019 10h01
Charles Sholl/Estadão ConteúdoBanco Central destacou a importância das reformas estruturais para economia

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) divulgou, nesta terça-feira (25), a ata de sua reunião da semana passada. Na data, a instituição financeira decidiu manter, pela décima vez consecutiva, a taxa básica de juros da economia brasileira (Selic) em 6,5% ao ano.

“O Banco Central continua vinculando a possibilidade de uma redução dos juros à questão da reforma da Previdência. Os ajustes que são necessários em relação às contas publicas, porque ele diz que o mercado pode ter reação contrária se houver algum problema em relação à reforma. Isso poderia mexer com os preços dos ativos, com o mercado futuro de juros, interferindo, portanto, no controle da inflação, que é o grande objetivo do BC. Agora, como a reforma está avançando, a leitura geral do mercado continua sendo de que há possibilidade, talvez, de já no mês de julho o Copom vir a reduzir juros como forma de tentar estimular a atividade econômica. Isso se for votada mesmo em plenário, como prevê até o presidente da Câmara. Então está colocado: o Banco Central reconhece a fraqueza da atividade econômica, vê a inflação, por enquanto, sobre controle, mas teme os efeitos de um eventual problema na tramitação da reforma da Previdência.”