Felipe: Manifestações foram espetáculo cívico, mas ainda há incógnitas

  • Por Jovem Pan
  • 27/05/2019 10h56
Flavio Contente/Estadão ConteúdoManifestações em todo o país eram favoráveis à Reforma da Previdência

Pesado tudo na balança, as manifestações de domingo (26) foram um espetáculo cívico. Obviamente houve uma participação indireta pelo menos de estímulo por parte do presidente Jair Bolsonaro, houve grupos na liderança dessas manifestações ligados a deputados do PSL, mas houve também lideranças populares e muitos manifestantes que foram defender pautas como Reforma da Previdência e pacote anti-crime por livre e espontânea vontade, simplesmente defendendo bandeiras que consideram legítimas e saudáveis para o país.

Precisa ser enaltecido o fato de uma parcela expressiva da população ter ido às ruas para pedir menos Estado, pois temos uma tradição de grandes manifestações que as pessoas vão às ruas pra pedir mais Estado, onde eram pedidos mais gastos públicos muitas vezes camuflados de cobrança por mais direitos. Diretos, muitas vezes, que dependem de recursos do orçamento, dependem do pagamento de impostos e do trabalho justamente do cidadão comum, do trabalhador, empresário, empreendedor ou empregado da iniciativa privada.

Também tem o fator da crítica aos parlamentares, presente entre muitos manifestantes e que é absolutamente legítima. Se houve algum excesso ou tom mais exaltado, pedindo o fechamento do Congresso, por exemplo, eu particularmente não vi predominar em cartazes, isso foi minoritário e obviamente merece repúdio. Nas semanas que antecederam as manifestações, as pautas mais radiciais foram afastadas até pelo próprio presidente, quando falou na quinta-feira (23) que quem defendia essas pautas estava na manifestação errada e isso estava mais para o ditador Nicolás Maduro.

Fica a incógnita de como essas manifestações irão impactar o centrão. Houve sim uma pressão e uma amostra significativa de que a população está de olho. Se a represália ao governo for muito intensa por ter estimulado indiretamente a manifestação, pode haver uma nova revolta popular causando até protestos ainda maiores.