Deputados indecisos querem vender voto mais caro, e isso é prostituição política

  • Por Jovem Pan
  • 01/08/2017 10h46
BRA102. BRASILIA (BRASIL), 04/12/2016. - Miles de ciudadanos salieron hoy, domingo 4 de diciembre de 2016, a las calles de Brasilia (Brasil) para mostrar su descontento por la cada vez más evidente corrupción de buena parte del arco político brasileño. En Brasilia unos 4.000 manifestantes, según cálculos de la Policía Militar, se concentraron pese a la lluvia en la Explanada de los Ministerios, frente al Congreso, portando carteles con mensajes tan contundentes como "el pueblo contra la corrupción" o "el poder emana del pueblo". EFE/Joédson AlvesOs ares de legalidade são destruídos com tamanha imoralidade, diz Joice Hasselmann

Fim das férias dos deputados e os olhos do Brasil estão voltados para a Câmara. Não é novidade para ninguém que o Governo quer votos em negocia com os indecisos, que aumentam todo dia o preço do seu próprio voto.

Nos últimos dias a gente não fala em outra coisa no Brasil. É só a famigerada denúncia contra Michel Temer. Neste toma lá dá cá, há dois lados: a corrupção tem corrupto e tem corruptor.

Quem é o mais culpado? Onde há quem compre, há quem venda. Michel Temer está fazendo qualquer negócio para conseguir votos. É legítimo criticar as jogadas do Governo? É sim, mas não podemos esquecer dos deputados que negociam votos. Isso tem cheiro de corrupção.

Apesar de ser permitido em lei, os deputados têm preço, mas não têm vergonha. Qual a justificativa para um deputado hoje dizer que está indeciso? Até as pedras da Praça dos Três Poderes já se decidiram. Eles dizem que não se decidem porque querem vender o voto mais caro. Isso é prostituição política.

Os ares de legalidade são destruídos com tamanha imoralidade. Pois bem, lembre-se que essa é a política brasileira e é essa a gente que vai definir não só o futuro de Michel Temer, mas o do Brasil.

Assista ao comentário completo de Joice Hasselmann: