Joseval Peixoto: Bolsonaro não se desviou um milímetro do dístico da bandeira nacional

  • Por Jovem Pan
  • 30/10/2018 10h19
EFENa verdade, como militar e patriota, Bolsonaro não se desviou um milímetro do dístico da bandeira nacional: Ordem e Progresso

O Brasil ainda não deglutiu todo o conteúdo do discurso de presidente eleito Jair Bolsonaro.

Na verdade, de uma forma mais tênue, Bolsonaro não saiu um milímetro sequer de sua linha em defesa da polícia contra a ação do crime organizado no Brasil. Na verdade, é isso que seus eleitores querem. O fim do império do medo em nosso país.

Suas palavras são muito claras: “como defensor da liberdade, vou guiar um governo que defenda e proteja os direitos do cidadão que cumpre seus deveres e respeita as leis. Elas são para todos. O que ocorreu hoje nas urnas não foi a vitória de um partido, mas a celebração de um país pela liberdade. Podem ter certeza que trabalharemos dia e noite para isso. Liberdade é um princípio fundamental”.

Liberdade de ir e vir. Liberdade de andar nas ruas em todos os lugares deste país.

Em todas as suas manifestações anteriores, principalmente em seus monólogos pela internet, o presidente eleito clamou contra os que defendem os direitos humanos dos bandidos contra a ação dos policiais.

Sua frase era poderosa: prefere lotar mais as cadeias com bandidos do que os cemitérios com as vítimas.

É nesse sentido também que se deve entender sua fala contra o MST: “o Estado Democrático de Direito tem como um dos seus pilares o direito de propriedade”.

Reafirmamos aqui o respeito e a defesa desse princípio constitucional. E depois aprofundou sua fala no campo da economia, contra os juros, o crescimento da dívida e a criação de empregos.

Na verdade, como militar e patriota, Bolsonaro não se desviou um milímetro do dístico da bandeira nacional: Ordem e Progresso. E é para isso que foi eleito.