Constantino: Mérito da aprovação da reforma é do Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 11/07/2019 10h02
Luis Macedo / Câmara dos DeputadosParlamentares comemoram aprovação da reforma no primeiro turno do plenário

O texto-base da reforma da Previdência foi aprovado nesta quarta-feira (10) no plenário da Câmara dos Deputados, com votação expressiva de 379 a 131. Ao final da sessão, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez um discurso emocionado apontando a importância da reforma e defendendo os partidos do centrão, que segundo eles estiveram entre os grandes responsáveis pela vitória. Maia também destacou o papel da Casa no processo. “Eu acho que essa relação de confiança é que faz o parlamento hoje ter um protagonismo que não tem há muitos anos”, afirmou.

“Foi uma vitória do Brasil acima de tudo, mas é importante não comemorar de forma tão antecipada. Foi vitória muito significativa, com ampla margem, mas ainda falta votar os destaques. O próprio Rodrigo Maia interrompeu, percebendo um jogo do centrão para tentar desidratar a reforma com esses destaques, votando a favor de coisas mais populistas e demagógicas. Mas, sem dúvida, foi uma vitória importante, quase um milagre, porque o Brasil tem um sistema político disfuncional, muito fragmentado, e mesmo assim se aprova uma reforma dita impopular, que corta privilégios, principalmente do setor público, e isso tudo tem muito mérito. É preciso reconhecer trabalho muito bem feito do Maia, do Paulo Guedes e do Onyx Lorenzoni e, claro, do presidente Jair Bolsonaro. Eu acredito que essa disputa por paternidade seja mais uma coisa de ego, interesse eleitoral…  A reforma já tinha ganhado musculatura, estava sedimentada no país. Porque o Maia não fez antes? Bom, Bolsonaro também já foi contra. Foi a ideia que ganhou corpo. O Brasil tem mérito porque foi às ruas pressionar”, afirmou Constantino.