Constantino: Postura de Moro diante da CCJ o torna ainda mais heroico

  • Por Jovem Pan
  • 20/06/2019 06h06
Pedro França/Agência SenadoO ministro da Justiça e Segurança Pública prestou esclarecimentos na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal nesta quarta-feira (19)

Deve ter sido duro para o ministro Sergio Moro ter de aturar ontem o showzinho patético dos cúmplices ou companheiros daqueles bandidos que mandou para a cadeia. Mas é o preço a ser pago por ter deixado de ser juiz e se tornado ministro de Governo. A politização de sua atuação era inevitável, e o site esquerdista The Intercept deu a senha para os chacais.

Estamos há mais de uma semana reféns de mensagens supostamente trocadas entre o então juiz e colegas da Força Tarefa três anos atrás, sem qualquer perícia, obtidas de forma criminosa e divulgadas com evidente manipulação por um blog ultraesquerdista, a conta gotas e de forma sensacionalista. E é isso que tem ditado o tom do debate.

Senadores que apoiam o ex-presidente Lula, comprovadamente corrupto e hoje cumprindo pena após sentença referendada por instâncias jurídicas acima do juiz Moro, aproveitaram a oportunidade para atacar Moro e a Lava Jato, como se o grande escândalo fosse um juiz “parcial” que conversou com procuradores, e não um hacker invadir conversas privadas de um ministro da Justiça.

Foram mais de 200 acusados de vários partidos, como lembrou Moro, inúmeras condenações, bilhões devolvidos aos cofres públicos, e teve senador insinuando que as punições deveriam ser anuladas com base nesse material suspeito divulgado pelo ativista de extrema-esquerda Glenn Greenwald.

Sergio Moro ficar com “poker face” diante da cara de pau do senador Humberto Costa, por exemplo, cúmplice da quadrilha petista que o acusou de ter perseguido Lula por interesses políticos, é prova de que o estômago do ministro é feito de Adamantium!

Ao menos não faltaram senadores apoiando publicamente o trabalho do então juiz e atual ministro, elogiando sua coragem, sua correção, seu esforço para cumprir sua função, com resultados excelentes no combate à corrupção no país.

Sergio Moro, em geral, se saiu bem, foi firme porém calmo, rebateu acusações injustas, explicou a normalidade da situação, não tentou bancar o herói em momento algum, enalteceu o trabalho institucional do qual foi apenas uma parte, demonstrando humildade. E isso, cá entre nós, o torna ainda mais heroico!