Rodrigo Constantino: Não entendo a surpresa com Roger Waters defendendo Maduro

  • Por Jovem Pan
  • 05/02/2019 18h15
Estadão conteúdoWaters está sendo apenas coerente em sua estupidez

Em sua conta no Twitter, o cantor Roger Waters, ex-Pink Floyd, declarou apoio a Maduro e criticou os EUA: “[…] eles têm uma democracia REAL, parem de tentar destruí-los para que os 1% possa explorar seu petróleo”. Alguns fãs se mostraram decepcionados. Não deveriam. Waters está sendo apenas coerente em sua estupidez. Lembram dele? É aquele que chamou Bolsonaro de fascista em um show em São Paulo e foi vaiado pelo público. Também defende os terroristas palestinos para poder disseminar seu ódio antissemita ao estado de Israel.

Não entendo a surpresa com a postura de Roger Waters defendendo Maduro. Michael Moore, Sean Penn, Oliver Stone, Noam Chomsky, Roger Waters e alguns outros da mesma laia vão SEMPRE defender o que há de pior na escória da humanidade. Assim como no Brasil temos nossa lista de artistas parvos em política, como Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Wagner Moura, Letícia Sabatela, Letícia Spieler e tantos outros.

Estranho seria se um sujeito como Waters, que defende todas as causas furadas, de repente condenasse Maduro. Isso sim, seria motivo de espanto. A falta de surpresa, claro, não é motivo para deixar passar em branco o atestado de canalhice ou estupidez. Nada disso. É importante expor esses artistas que emprestam sua fama para defender tiranos e bandidos, tanto que escrevi “Esquerda Caviar” para tanto. Quem está na chuva é para se molhar, e à medida que o artista usa seu espaço para pregar bandeiras terríveis, merece e deve ser duramente criticado por isso. O que em nada anula seu talento artístico, diga-se. É preciso saber separar as coisas. Um canalha ou idiota pode ser um ótimo músico ou ator, e seu talento musical ou dramático não é sinônimo de sabedoria política. O segredo é continuar curtindo as músicas do Pink Floyd e os filmes de Wagner Moura, mas sem dar a mínima bola para o que eles dizem sobre política. O Capitão Nascimento é muito melhor do que o “pensador” Wagner Moura, assim como “The Dark side of the moon” é um baita álbum, mesmo que um de seus autores seja um completo imbecil defensor da ditadura socialista de Maduro na Venezuela. Cada macaco no seu galho…