Com triunvirato preso, PT está acéfalo

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2018 08h32
Roosewelt Pinheiro/ABrJosé Dirceu, ex-presidente Lula e Antonio Palocci em reunião no Palácio do Planalto em 2004

Em seu comentário no Jornal da Manhã desta sexta-feira (18), a colunista Jovem Pan Vera Magalhães comentou a iminente prisão do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, que completa o triunvirato petista atrás das grades, ao lado de Antonio Palocci e o ex-presidente Lula.

Lula, que chegou a gozar de popularidade na casa dos 80%, foi eleito com base no slogan farsesco de Duda Mendonça de que a esperança venceria, lembra Vera. Dirceu e Palocci se revezaram no papel de homens fortes no governo e tinham pretensões de suceder Lula no Planalto.  Ambos caíram ainda no primeiro governo e Dilma Rousseff surgiu nesse vácuo.

Palocci escapou do mensalão, mas teve o caso da quebra de sigilo do caseiro como seu primeiro entreveiro com a Justiça, do qual também escapou. Depois, já como o “Italiano”, Palocci montou consultoria que era pura traficância para o PT e para o Lula.

Dirceu, após cumprir sua primeira pena no mensalão, aderiu ao pragmatismo palocciano e enriquecer a base de consultoria nos mesmos moldes, caindo no petrolão.

Os três se encontram agora punidos por um esquema que tinha por objetivo perpetuar o PT no poder e abastecer os dutos do partido com recursos drenados do Estado brasileiro em conluio com empresas que financiavam o projeto.

Esse reencontro em Curitiba tem o peso simbólico de um regime inteiro que rui, diz Vera Magalhães.

PT acéfalo

Não há cabeça pensante no partido, aponta a colunista. Gleisi Hoffmann é boneca de ventríloquo do Lula.

O PT também não tem estratégia. Dirceu era o estrategista da sigla e percebeu a necessidade de fazer alianças para além da esquerda. Junto com Palocci, elaborou a “Carta ao povo brasileiro”, um truque para criar um Lula mais mais palatável ao mercado.

E agora não há quem faça a mediação entre o que é o PT e setores da sociedade.

Eles vivem nessa cantilena de que sofreram um golpe e não conseguem propor absolutamente nada ao País.

O que o PT quer para privatizações, educação no século XXI, saúde…?

Não existem formulações, não existe partido. Existe apenas um pessoal fazendo trincheira pró-Lula, avalia a colunista.

Os mais pragmáticos da sigla estão vendo que a vaca está indo ao brejo e começam a propor alternativas. Mas parece não haver ninguém na cabeça do partido para aceitar as alternativas e indicar caminhos.