Marina sente avanço de Barbosa e tenta delimitar seu espaço

  • Por Jovem Pan
  • 23/04/2018 15h10
Johnny Drum/Jovem PanCom poucas alianças, Marina Silva pode ter apenas 10 segundos de tempo de rádio e TV durante a campanha

A colunista Jovem Pan Vera Magalhães repercutiu a entrevista da pré-candidata Marina Silva ao programa Pânico nesta segunda-feira (23).

Para Vera, Marina “se saiu bastante bem”, aceitando as “piadinhas” e não se recusando a responder as perguntas a ela direcionadas. Em um momento da conversa, a ex-senadora até comparou os outros pré-candidatos a animais. Disse que Bolsonaro é como uma “hiena” e que o MDB é como um tatu-canastra, que tem o corpo grande e uma cabeça pequena.

A pré-candidata comemorou uma entrevista longa à rádio e disse que precisaria viver “umas 500 vidas” para compensar o espaço com o tempo de TV de 10 segundos que deverá ter na campanha na TV, com a Rede sem coligações.

Marina também voltou a negar aliança com Joaquim Barbosa (PSB). Para Vera, a ex-ministra “sentiu a entrada de Joaquim Barbosa no páreo e quer delimitar seu espaço”.