Fachin submete pedido de prisão de Aécio Neves ao plenário do Supremo

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2017 08h11
24/02/2016- Brasília- DF, Brasil- O senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, presidiu nessa quarta-feira (24/02), ao lado do líder Antonio Imbassahy, reunião com a bancada do partido na Câmara dos Deputados. Na pauta do encontro, a crise econômica e social, o apoio às manifestações do dia 13 de março e as ações do PSDB no TSE que pedem a cassação da chapa da presidente Dilma, entre outros temas. Fotos: George Gianni/PSDBAécio Neves

Há um pedido de prisão preventiva de Aécio Neves (PSDB-MG) requisitado pelo procurador-geral Rodrigo Janot ao Supremo Tribunal Federal (STF). O relator da Lava Jato no STF Edson Fachin decidiu submeter o pedido ao plenário da Corte. A análise do caso ainda não foi pautada na agenda do Supremo pela presidente do Tribunal, Cármen Lúcia. A informação é da colunista Jovem Pan Vera Magalhães.

Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, teve o afastamento do cargo de senador por Minas Gerais determinado em decisão de Fachin na manhã desta quinta-feira (18).

O Supremo também determinou nesta quinta a prisão preventiva de Andrea Neves, irmã do tucano. Ela foi presa em condomínio em Belo Horizonte (MG) nesta manhã, confirmou a Polícia Federal, ao contrário do que fora informado anteriormente.

O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) levou nesta manhã a Aécio um últimato pedindo para que ele se antecipe e renuncie à Presidência da sigla. A cúpúla do PSDB marcou uma reunião para as 10h30 no gabinete do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) para avaliar a permanência de Aécio Neves no cargo máximo do PSDB, informa também Vera Magalhães. 

Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, teria pedido para Joesley Batista, um dos donos da JBS, R$ 2 milhões para pagar sua defesa nos inquéritos da Operação Lava Jato. O dinheiro teria sido entregue a seu primo Frederico Pacheco de Medeiros, o “Fred”, em quatro parcelas de R$ 500 mil. Uma das entregas, feita por Ricardo Saud, diretor de Relações Institucionais da JBS, foi gravada pela Polícia Federal.

Frederico Medeiros também foi preso nesta quinta-feira.

O material foi entregue em delação premiada de Joesley, conforme divulgou o jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo na noite desta quarta (17).

Além disso, a Polícia Federal faz buscas na casa de Aécio em Ipanema, bairro do Rio de Janeiro, nesta manhã. Na noite desta quarta (17), quando divulgadas as acusações, Aécio Neves se disse “absolutamente tranquilo” quanto à correção de seus atos.