Vera: Apoio de senadores deixou Moro à vontade em depoimento

  • Por Jovem Pan
  • 20/06/2019 08h06
Pedro França/Agência SenadoMoro não foi questionado por detalhes que podem lhe causar problemas mais para frente

O apoio da maioria dos senadores da Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, durante depoimento nesta quarta-feira (19), auxiliou o bom desempenho do ex-juiz federal durante sua fala. Ao não ser questionado por detalhes mais delicados e polêmicos do vazamento de conversas entre ele e o procurador Deltan Dallagnol, responsável pela Lava Jato, Moro ficou à vontade.

Ele se saiu bem no que se propôs a fazer: não confirmar o conteúdos das conversas, afirmando que elas estão sujeitas à eventuais edições, supressões e acréscimo e defender que, ainda que o conteúdo fosse inteiro verdadeiro, não taria nada de ilegal em relação a seus atos praticados.Mesmo com a certa contradição que a não confirmação das mensagens, mas defesa de sua lisura, trazem, o ministro foi além pedindo para que o site divulgasse o conteúdo integral das conversas. Com essa menção, ele passou a imagem de que ão tem nada a temer, sugerindo até deixar o cargo se algo fosse encontrado.

Mesmo nos poucos momentos mais fortes de seu depoimento, em que alguns dos senadores tentaram desestabilizá-lo, a exemplo de Renan Calheiros e Humberto Costa, que adotaram posturas incisivas pedindo até a renúncia de Moro, ele não se exasperou.