Vera: Bolsonaro e Guedes precisam fazer voto de silêncio até aprovação da Previdência

  • Por Jovem Pan
  • 27/06/2019 08h00
Agência BrasilMembros do governo federal precisam evitar ruídos até a votação

Em prol da aprovação da reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o ministro da Economia, Paulo Guedes, precisam fazer votos de silêncio público até que o projeto passe pelo plenário da Câmara dos Deputados. Os ruídos, ataques e disputas de ego entre os membros do governo federal e os parlamentares tem prejudicado a agenda da da proposta, que já está em atraso.

Quando dão declarações polêmicas, Bolsonaro e Guedes acabam colocando incertezas dentro do cenário político e econômico, atrapalhando as votações. Os deputados também precisam ajudar e evitar atritos até que se cumpra o cronograma, que está apertadíssimo: a intenção é de que a nova Previdência seja votada até o dia 10 de julho, um prazo muito apertado considerando recesso, possíveis idas de parlamentares à suas bases, entre outras interferências.

Mesmo com o cancelamento, nesta quinta-feira (27), da reunião em que o relator da reforma, Samuel Moreira (PSDB-SP) leria o novo texto com modificações, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o secretário de Previdência, Rogério Marinho, afirmaram que o cronograma está mantido. Eles vão tentar remarcar a sessão ainda para hoje mas, para que o prazo seja cumprido, é necessária a boa vontade e esforço de todos os envolvidos.