Vera: Clóvis Rossi exerceu o ofício em que foi o maior de todos

O jornalista Clóvis Rossi morreu na madrugada desta sexta-feria (14), aos 76 anos

  • Por Jovem Pan
  • 14/06/2019 08h59
ReproduçãoO jornalista estava internado no Hospital Albert Einstein após infarto sofrido na quinta-feira

Acordei hoje com a notícia da morte de um colosso do jornalismo brasileiro, da história brasileira. O Clóvis Rossi morreu na madrugada desta sexta-feria (14), aos 76 anos.

Quando eu entrei na faculdade de jornalismo tinha um trabalho que pedia que falássemos quem era o jornalista que mais admirávamos e eu coloquei o Clóvis Rossi. Quando eu ingressei na Folha de S.Paulo havia um programa lá de apadrinhamento de novos jornalistas, em 1997, e eu tive a honra de ser apadrinhada pelo Clóvis Rossi.

Eu olhava aquele colosso, ele era altíssimo, tinha quase 2 metros, e eu imaginava a honra que eu tinha de aprender um pouco com esse homem que cobriu guerras, cobriu a deposição de regimes fascistas, como o de Franco, na Espanha, que lhe rendeu um prêmio, e que era tão humilde a ponto de sentar e tomar um café com uma menina e ensinar um pouco. Eu estou muito triste e eu queria que as pessoas que atacam os jornalistas e a imprensa, muitas vezes de forma irresponsável e bastante leviana, levassem em conta o que é esse ofício.

Alguém que nunca quis ser editor, nunca quis ser chefe, sempre quis ficar no chão da redação, ensinando, pegando a caneta, pegando um bloquinho e indo para quebra-queixo em coletiva, exercendo o ofício em que ele foi o maior de todos, do alto de seus quase 2 metro de altura, e elevando a nossa profissão a níveis muito difíceis de alcançar.

Eu queria agradecer ao Clóvis Rossi a tudo o que ele fez pelo país e pelo jornalismo e por mim e dizer que a gente segue, a gente vai tentar honrar o legado dele. Quero mandar um beijo para a família, para os colegas da Folha que devem estar muito abalados porque ele era uma presença gigante na redação, nos almoços, no café, em todos os lugares, e dizer que hoje o Brasil tá muito mais pobre.