Vera Magalhães: Kassab e Doria se submetem a constrangimento por conta de licença temporária

  • Por Jovem Pan
  • 28/12/2018 07h55
Valter Campanato/Agência BrasilEm acordo com o governador eleito João Doria, Kassab disse que precisa de tempo para trabalhar sua defesa na Operação Lava Jato

Anunciado para a Secretaria da Casa Civil de João Doria, no governo paulista, o atual ministro Gilberto Kassab declarou nesta quinta-feira (27) que se licenciará temporariamente do futuro cargo a partir de janeiro.

Em acordo com o governador eleito João Doria, Kassab disse que precisa de tempo para trabalhar sua defesa na Operação Lava Jato. É bizarro. Podemos também chamar de esdrúxulo. Equivale a um técnico escalar alguém do banco porque um titular levou cartão amarelo.

Kassab e Doria se submetem a algo constrangedor. O mais prudente seria Kassab dizer que declina da indicação e que vai se dedicar a sua defesa e que depoiks de tudo acertado eles voltem a se falar.

A Casa Civil é o principal posto de secretariado do principal Estado do país. Não é aceitável que essa situação ocorra, e não é a primeira vez que veos Kassab em arranops tao peculiares.

Basta lembrar que Kassab foi ministro de Dilma e no Governo temer mudou de pasta. Isso tudo é afronta ao eleitorado que votou contra esse compadrio de nomeação de apoiadores políticos.

Doria prometeu mudanças, nova gestão, nova política, que faria indicações técnicas e que seguiria régua ética restrita. Tudo isso vai por água abaixo diante desse anúncio esquisito de que Kassab toma posse e sai.

Na prática, esse processo dura anos. Kassab já é réu na investigação que apura supostos recebimentos da Odebrecht. Ele também responde acusações de que receberia propinas totalizando milhões de reais.

É de se prever que se tenham anos de processos e inquéritos. Ele vai apenas encaminhar a defesa? Vai se dedicar a isso até ser inocentado? Melhor seria para todos, para a lógica e a ética, que Kassab e Doria chegassem à conclusão de que ele não está em condições de assumir, ou que assumisse logo.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: