Vera Magalhães: MBL passou a ser considerado ‘traidor’ após falta em último protesto

  • Por Jovem Pan
  • 30/06/2019 15h53
Jovem PanComentarista analisou "cizânia" entre grupos de direita

Alguns pequenos tumultos foram registrados nas manifestações realizadas em defesa da Lava Jato neste domingo (30) pelo País. Houve registros, por exemplo, de discussões na Avenida Paulista, em São Paulo, e em Copacabana, no Rio de Janeiro. O motivo: a adesão do Movimento Brasil Livre (MBL), grupo que havia ficado de fora dos últimos protestos.

“As manifestações estão grandes. O tamanho é semelhante ao dos atos do último dia 26. Uma novidade é a adesão, desde o primeiro momento, do MBL. Para as manifestações do dia 26, houve palavras de ordem contra o Congresso e o Supremo, e o MBL ficou contra. Hoje aderiu. Isso está levando a confrontos entre integrantes do MBL e outros movimentos, como o Direita SP e o Direita Brasil”, analisou a comentarista da Jovem Pan Vera Magalhães.

Segundo ela, durante a tarde, a polícia foi chamada para apartar uma briga na capital paulista. “Isso mostra que há uma cizânia na direita. O MBL passou a ser considerado ‘traidor’ por ter sido crítico à ideia de usar as manifestações como pressão sobre o Congresso. O MBL disse que isso era autoritário e não endossava. Agora que a pauta é mais voltada à Lava Jato, ao Moro e à reforma da Previdência, o movimento aderiu. Talvez por ter sentido que ficou fragilizado por ficar de fora da outra vez”, completou.

Confira o comentário completo: