Vera Magalhães: Politização das Forças Armadas parece inevitável, resta ver comportamento de Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 14/11/2018 07h57
Tânia Rêgo/Agência BrasilEssa discussão, inclusive, está bastante disseminada pelo futuro governo e também nas Forças Armadas

O presidente eleito Jair Bolsonaro nomeou mais um general para um cargo no primeiro escalão de seu Governo, agora para a Defesa. Com isso, a discussão sobre a politização das Forças Armadas volta com força.

Essa discussão, inclusive, está bastante disseminada pelo futuro governo e também nas Forças Armadas. Ela foi aberta pelo general Villas Boas em consistente entrevista no fim de semana. Ele analisa a volta de generais a ministérios, tenta fazer distinção entre essa proeminência e diz que não é desejável que essa volta se converta no retorno da politização interna das Forças.

A distinção, entretanto, é difícil de ser feita, porque alguns generais terão atribuições políticas e há generais eleitos no Congresso. Essa politização é inevitável. Se ela ocorrerá apenas em discussões ou levará para que integrantes das Forças Armadas externem pretensões politicas de maneira mais aberta teremos de esperar para ver.

Villas Boas, por exemplo, foi ao limite ao dizer que havia risco de instabilidade em razão de eventuais decisões do STF.

Tudo isso ainda é muito novo, é uma realidade que não existia desde a redemocratização e é algo que teremos de ver no dia a dia se Bolsonaro colocará limites, se ele vai pedir que militares atuem politicamente e como será a interface entre Executivo e Legislativo.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: