Vera Magalhães: Sentença de Hardt destrói tese de perseguição a Lula

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2019 07h54
EFEEm sentença detalhada, ela evita que haja narrativa de perseguição contra Lula

Lula foi condenado em segundo processo contra ele, mas PT segue pregando que não há provas contra o ex-presidente, mas essa adesão ao discurso é cada vez menor. Além disso, a decisão da juíza Gabriela Hardt também enfraquecem a fala de defensores do petista.

A juízacondenou o ex-presidente a 12 anos e 11 meses no caso do sítio de Atibaia. Ela constrói todo o caminho de provas contra o petista, tem testemunhas de outros condenados no mesmo processo e torna impossível, a não ser com muito fanatismo, dizer que não há provas neste caso.

Hardt se deteve a cada ponto da defesa de Lula, falou de suspeições aventadas contra ela e o ex-juiz federal Sergio Moro. Em sentença detalhada, ela evita que haja narrativa de perseguição contra Lula.

A condenação é bastante dura e pode afetar a progressão da pena que o petista já cumpre no caso do tríplex do Guarujá.

Questionamento interno

A presidência do PT está muito atrelada à questão de Lula, o que levanta um questionamento interno.

Tudo o que Gleisi Hoffmann faz leva à conveniência de defesa de Lula e não leva em conta a necessidade do PT de se reinventar e retomar um protagonismo que teve durante anos na história política.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: