Vera: Manter Lula preso foi a melhor solução para o momento

  • Por Jovem Pan
  • 26/06/2019 08h42
Hélvio Romero/Estadão ConteúdoSe concedido, mérito de habeas corpus do presidente só seria julgado no segundo semestre

Diante das soluções propostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), negar a liminar de soltura do ex-presidente Lula foi melhor solução. Do ponto de vista jurídico, não fazia o menor sentido liberar, neste momento, o petista

O ministro Gilmar Mendes sugeriu que Lula fosse solto imediatamente para só depois, no segundo semestre e após o recesso do judiciário, analisar o mérito do pedido de liberdade – o que não fazia o menor sentido, visto que o habeas corpus foi enviado ao tribunal em novembro do ano passado. A solução proposta por ele não era justificável nem para quem vê justiça na eventual concessão de liberdade do ex-presidente e nem para quem acha um absurdo.

A sugestão do ministro colocou, mais uma vez, toda a população sob suspense, como se o caso de Lula fosse o único a ser julgado pelos tribunais brasileiros. Uma solução melhor poderia ser ter se debruçado de uma vez sobre essa questão, ou mesmo analisar problemas de fundo que vão, também, ter um impacto profundo na Operação Lava Jato, como ações de inconstitucionalidade, questões sobre limites de delações e prisões preventivas e até mesmo a suspeição do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

Uma hora ou outra o STF vai precisar pensar nessas questões para entender se a Lava Jato foi ou não contaminada, e analisar essa série de normatizações ajudaria a reduzir a zona cinzenta que existe até então.