Fernando Maluf: Retirada de mama afeta emocional de mulheres

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2018 10h15
Edson Lopes Jr./ GESPVamos tratar de um tema bastante delicado do câncer de mama: a retirada da mama no tratamento, que afeta muito as mulheres do ponto de vista emocional

Vamos tratar de um tema bastante delicado do câncer de mama: a retirada da mama no tratamento, que afeta muito as mulheres do ponto de vista emocional.

Um estudo publicado no Journal of Clinical Oncology avaliou o impacto da mastectomia contralateral profilática na qualidade de vida das pacientes. Envolveu 288 participantes e utilizou questionários pré e pós-cirurgia de mulheres que tiveram câncer de mama e optaram por remover a outra mama de forma preventiva, comparando com mulheres que não fizeram o procedimento.

Observou-se que pacientes que optaram por fazer a retirada preventiva da outra mama tinham um grau de preocupação, medo e até desespero de ter um câncer de mama significativamente maior do que as mulheres que não fizeram.

O trabalho também constatou que as pacientes que retiraram a outra mama tiveram pior qualidade de vida e uma certa insatisfação com sua estética corporal.

Uma das conclusões é que não existem só vantagens nesse procedimento profilático, mas também consequências que podem ser negativas no futuro e devem ser consideradas na indicação da técnica e na condução de estratégia do tratamento.

Os dados reforçam que essa discussão deve ser bem balanceada entre médico e pacientes que querem fazer o procedimento preventivo, considerando que pode impactar negativamente na qualidade de vida e na autoimagem.

Somos o Instituto Vencer o Câncer. Estamos juntos com você nessa luta.

Acesse o nosso site: vencerocancer.org.br