Leitor e ouvinte antecipa notícia de importação de energia da Argentina

  • Por Jovem Pan
  • 22/01/2015 12h16

Reinaldo, um leitor de seu blog e ouvinte de Os Pingos nos Is deu um furaço jornalístico, é isso?

Às 16h55 desta quarta, um leitor do blog e ouvinte do Os Pingos nos Is mandou esta mensagem para o blog:

“Já estamos comprando energia da Argentina. Vejam no último parágrafo do documento abaixo”.

O “documento abaixo”, ele mandava o endereço na internet, era justamente a página do Operador Nacional do Sistema com o relatório do que se fez na terça-feira em matéria de energia.

O texto a que ele faz referência, do Operador Nacional do Sistema, informa que na terça-feira, dia seguinte ao apagão que atingiu 11 Estados e o Distrito Federal, o Brasil recorreu à importação de energia da Argentina: 165 megawatts médios. É o relatório do ONS de terça, dia 20.

Como se pode notar pelo relatório, entre 10h23 e 12h e 13h e 17h02, o fornecimento que veio da Argentina não foi pequeno: variou de 500 megawatts a 1.000 megawatts. Os 165, que constituem a média, consideram as 24 horas do dia. Houve momentos em que foi menor e até em que não houve transferência nenhuma.

A íntegra do relatório está lá na minha página, leiam lá. Verifiquem que, em quase todas as estações, a “geração hidráulica” de energia foi inferior ao programado, e a transferência de energia das subestações Sul, Nordeste e Norte para o Sudeste, superior ao programado.

A energia argentina veio por intermédio da estação de conversão Garabi II, que fica no Rio Grande do Sul. Brasil e Argentina mantêm um acordo, e um fornece energia ao outro em caso de crise. Pois é, em tempos de águas gordas, os brasileiros é que costumavam socorrer os argentinos.

Chama a atenção o período de maior fornecimento da Argentina para o Brasil: verifiquem que estão fora do que era antes o período de pico de consumo.

Segundo Eduardo Braga, não houve problema no fornecimento de energia no apagão de segunda-feira. Tudo teria derivado de uma falha técnica. Sei. Vai ver o Brasil está pedindo socorro à Argentina porque, sei lá, uma pipa enroscou em alguma linha de transmissão ou, como disse a então ministra Dilma, em 2009, fomos colhidos por um inesperado raio.

O ministro Braga pediu ajuda a Deus e acabou mesmo aceitando favor de argentino. O mais curioso é que ele concedeu uma entrevista explicando as medidas adotadas para enfrentar o problema e, ora vejam, omitiu essa informação.