‘A internet não é uma terra de ninguém’, diz deputado que propôs CPMI do Cyberbullying

  • Por Jovem Pan
  • 07/06/2019 18h55
Luis Macedo/Câmara dos DeputadosO deputado federal Alexandre Leite (DEM-SP) apresentou a CPMI do Cyberbullying

O deputado federal Alexandre Leite (DEM-SP) protocolou nesta semana um pedido de abertura da CPMI do Cyberbullying. Em entrevista ao programa 3 em 1, da Jovem Pan, o parlamentar detalhou a proposta. “Nossa intenção é a de investigar fatos e condutas que possam ser evitadas no futuro”, afirmou.

Segundo Leite, o alvo do inquérito é a divulgação de fake news por robôs no período eleitoral. comissão busca apurar se isso teve impacto no resultado. “Não tem o escopo de perseguir ninguém”, ressaltou o deputado. “Não vamos cercear a liberdade de expressão de alguém”, disse. Ele, no entanto, afirmou que um dos objetivos da CPMI é mostrar que a internet também tem leis. “A internet não é uma terra de ninguém, se a pessoa ofende, independentemente de ser político ou não, pode ser processada.”

O parlamentar mostrou o que considera que tenha sido influência de notícias falsas nas eleições. “Quando você lança uma notícia falsa uma semana antes [da eleição] e robotiza sua distribuição, no domingo de eleição ele [o alvo da notícia falsa] não conseguiu fazer sua defesa, então temos uma interferência nas eleições”, explicou.

A CPMI do Cyberbullying deverá ser uma comissão mista, ou seja, com deputados federais e senadores. Serão 15 deputados e 15 senadores, com igual número de suplentes, e a relatoria deverá ficar com o DEM.