STF aprova reajuste para magistrados

  • Por Jovem Pan
  • 09/08/2018 19h43
Nelson Jr./SCO/STF O texto, com o reajuste, deve ser enviado ao Congresso ainda neste mês e caberá ao Legislativo aprovar ou não esse aumento

O Supremo Tribunal Federal aprovou na noite de quarta-feira uma proposta orçamentária para 2019 que prevê reajuste salarial de 16,38%.

Votaram pelo aumento os ministros Dias Toffoli, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski, Alexandre de Moraes e Marco Aurélio Mello.

Contra: Cármen Lúcia, Edson Fachin, Rosa Weber e Celso de Mello.

O texto, com o reajuste, deve ser enviado ao Congresso ainda neste mês. Cabe ao Legislativo aprovar ou não esse aumento. Caso seja aprovado, o salário de ministro do Supremo – o teto do funcionalismo – subirá de 33 mil e 800 reais para 39 mil e 300.

Esse salto terá um custo de 2 milhões e 800 mil reais na Corte. O problema é o chamado efeito-cascata. Projeções indicam que o reajuste custará mais de 3 bilhões de reais aos cofres públicos.

No 3 em 1 desta quinta-feira, 09, Patrick Santos mediou um debate sobre o tema entre Vera Magalhães, Carlos Andreazza e Marcelo Madureira.

Vera chamou esse reajuste de absurdo. Madureira lamentou a decisão e sugeriu que os ministros fizessem um passeio pelas periferias, para ver a situação econômica do país. Já Andreazza disse que esse é o pior Supremo da história do Brasil.