Supremo tira de Moro trechos da delação da Odebrecht que citam Lula

  • Por Jovem Pan
  • 24/04/2018 20h24
Wilson Dias/Agência BrasilJuiz federal Sergio Moro segue as ações penais sobre o sítio de Atibaia e o terreno do Instituto Lula
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal aceitou, nesta terça-feira (24), um recurso apresentado pela defesa do ex-presidente Lula para retirar do juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Criminal de Curitiba, trechos da delação da Odebrecht que narram fatos relativos a investigações em torno do petista.
Por decisão de três dos cinco ministros da turma, os documentos serão encaminhados à Justiça Federal de São Paulo.
A Segunda Turma retirou de Moro os trechos da delação da Odebrecht que tratam sobre os temas, mas as ações penais sobre o sítio e o terreno do Instituto Lula – fundamentada em outros elementos – continuam com ele.
De acordo com o Ministério Público, essas colaborações relatam a ocorrência de reformas no sítio em Atibaia, aquisição de imóveis para uso pessoal e instalação do Instituto Lula e pagamentos de palestras, condutas que poderiam funcionar como retribuição a favorecimento da companhia.
Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes concordaram com os argumentos dos advogados de Lula, de que os fatos relatados não dizem respeito a crimes relativos a Petrobrás.
Edson Fachin e Celso de Mello foram votos vencidos.
No 3 em 1 desta terça-feira, 24, Patrick Santos mediou um debate entre Vera Magalhães, Carlos Andreazza, Marcelo Madureira e Denise Campos de Toledo.
Vera chamou a decisão de nebulosa e esburacada e disse que ela causa imensa insegurança jurídica. Andreazza ressaltou que o pauteiro dessa causa é o ministro Dias Toffoli. Madureira, por fim, teceu críticas a Gilmar que, segundo ele, resolveu vestir a fantasia do inimigo do Batman nacional.