Advogado entra com ação privada contra Dilma no STF

  • Por Jovem Pan
  • 13/04/2016 11h39
Presidente Dilma cancelou presença na cerimônia que acenderá a tocha olímpica dos Jogos do Rio 2016

 O advogado Luís Carlos Crema, que pediu o afastamento do ministro da Justiça, Eugênio Aragão, por não ter se desligado do Ministério Público, ajuizou uma ação privada, em que alega que a Procuradoria-Geral da República não investigou ao menos seis crimes cometidos por Dilma Rousseff.

Crema afirma que Janot ignorou a investigação e cita os crimes que devem ser investigados, além dos que já estão em discussão na Câmara: “A nossa equipe levantou uma série de crimes praticados pela presidente Dilma Rousseff, alguns da Lava Jato, outros não. Os principais que conseguimos tipificar agora foi a obstrução da Justiça, no caso da nomeação do Lula, o crime de falsidade ideológica quando a presidente Dilma maquiou as contas públicas, maquiou empréstimos que tinham sido realizados, crimes contra as finanças públicas que estão sendo apurados hoje no impeachment, financiamento da campanha de 2014 com dinheiro roubado da Petrobras e crime de desobediência a decisões do STF, que a presidente desde o dia 03/04 não cumpriu uma decisão expressa da Corte suprema”.

Informações: Claudio Tognolli