Pablo nega mágoa e se declara ao Corinthians: “ficaria feliz se voltasse”

  • Por Jovem Pan
  • 11/04/2018 12h49
Campeão paulista e brasileiro pelo Corinthians, Pablo tem contrato com o Bordeaux até 2021

A saída conturbada, que contou até com “veto” à participação na festa pelo heptacampeonato brasileiro, não diminuiu o carinho de Pablo pelo Corinthians. Em entrevista exclusiva a André Ranieri, para a Rádio Jovem Pan, o zagueiro do Bordeaux ignorou o fim de ano polêmico, negou guardar mágoas do Timão e revelou: ficaria muito feliz se um dia voltasse a vestir a camisa alvinegra.

“Mágoa? Jamais! Eu jamais vou ter mágoa do Corinthians”, garantiu. “Na verdade, eu só tenho de agradecer por tudo o que conquistei em um ano no clube. Agradecer a todos os funcionários e profissionais que me ajudaram a evoluir. Só tenho gratidão pelo Corinthians.”

“Me identifiquei muito com o clube e me identifico muito com a torcida. Quem sabe, um dia, se eu estiver em bom nível e o Corinthians tiver interesse, eu possa voltar a vestir essa camisa que tem uma força absurda. Eu ficaria muito feliz se pudesse voltar a vestir a camisa do Corinthians”, acrescentou.

Campeão paulista e brasileiro em 2017, Pablo tinha praticamente tudo acertado para ser contratado em definitivo pelo Corinthians por quatro anos – ele estava emprestado pelo Bordeaux até dezembro. De última hora, porém, o empresário do jogador, Fernando César, não chegou a um acordo com a diretoria alvinegra, que se recusou a pagar um adiantamento de 40% no valor integral das luvas no ato do acerto.

As negociações, então, foram encerradas, e Pablo sequer participou da festa pela conquista do heptacampeonato nacional.

Cinco meses depois, o zagueiro considera a polêmica página virada.

Nessa entrevista exclusiva, ele fala sobre o retorno ao Bordeaux, rasga elogios a Fábio Carille e crava: a dupla de zaga com Balbuena foi a melhor da sua carreira.

Veja abaixo!

Futebol francês

“Está sendo muito bom. É a minha segunda passagem pelo Bordeaux. A primeira não foi das melhores, mas, graças a muito trabalho, fiz um bom ano no Corinthians e voltei outro jogador. Aprendi muito com o Carille. Joguei praticamente todas as partidas desde que voltei. Estou muito bem, conseguindo manter um alto nível. Espero continuar assim.”

Mudanças no futebol francês após a chegada de Neymar

“Mudou praticamente tudo. Ele é um jogador de alto nível e que provoca uma influência absurda em todas as áreas. Visibilidade, qualidade… A liga francesa dá um salto muito grande com um cara desse nível. Fora que a presença do Neymar também pode atrair a chegada de outros jogadores de peso.”

Malcom

“Ele é um garoto que está fazendo uma temporada espetacular. Por isso que alguns grandes clubes do futebol mundial têm demonstrado interesse em contratá-lo para a próxima temporada. Mas ele está bem tranquilo e trabalhando bastante para terminar a temporada bem, para que as coisas possam caminhar. Ele é jovem, tem qualidade, então, é natural que atraia interesse.”

Título paulista do Corinthians

“Eu assisti à final contra o Palmeiras. Estava torcendo para os amigos que deixei no Corinthians. Tenho um carinho enorme pelo clube e pelos jogadores. Nada mais justo do que torcer por eles. São pessoas que vou levar para o resto da minha vida. Torci bastante, e o legal é que foi do jeito do Corinthians, né? Sofrido, com muita luta e dedicação.”

Fábio Carille

“O Carille ajudou 100% na minha evolução. A forma como ele vê o futebol e orienta os jogadores é excepcional. Aprendi muito com ele. Questão de posicionamento, saída de bola, fechamento de espaços, fazer o simples… Esse meu ano com ele foi espetacular. Eu evolui demais, voltei outro jogador ao Bordeaux. Os jogadores que trabalham com ele saem prontos para jogar no futebol europeu. Eu tenho certeza que ele daria certo na Europa. É um técnico que monta muito bem a sua equipe. A forma como os times dele jogam lembram muito as equipes italianas, pela força defensiva e solidez tática.”

Dupla com Balbuena

“Para mim, foi a melhor (dupla de zaga) que eu já formei. A gente se completava. A gente nem precisava conversar muito, mal se falava durante os jogos. A gente mais orientava os outros do que conversava entre si, porque eu já sabia o que ele iria fazer e vice-versa.”

Sentimento pelo Corinthians

“Mágoa? Jamais! Eu jamais vou ter mágoa do Corinthians. Na verdade, eu só tenho que agradecer por tudo o que conquistei em um ano de trabalho no clube. Agradecer a todos os funcionários e profissionais que me ajudaram a evoluir. Só tenho gratidão.”

Possibilidade de voltar ao Corinthians

“Isso é uma coisa que eu penso, sim. Me identifiquei muito com o clube e me identifico muito com a torcida. Quem sabe, um dia, se eu estiver em bom nível e o Corinthians tiver interesse, eu possa voltar a vestir essa camisa que tem uma força absurda. Eu ficaria muito feliz se pudesse voltar a vestir a camisa do Corinthians.”