Chefe da Polícia Civil de SP nega envolvimento com empresas da Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 13/07/2016 07h03
O governador Geraldo Alckmin durante entrega de viaturas para as polícias Civil e Militar para a Capital e Grande São Paulo. Data: 27/03/2014. Local: São Paulo/SP. Foto: Edson Lopes Jr/A2 FOTOGRAFIAPolícia Civil - Fotos Publicas

O delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo negou irregularidades em participação de empresas e com atos praticados por delatores da Lava Jato.

O jornal Folha de S. Paulo informou nesta terça-feira (12) que Youssef Abou Chahin estaria sendo investigado pelo Ministério Público paulista.

Parentes do policial teriam sociedades com familiares de dois operadores de propina, Roberto Trombeta e Rodrigo Morales, em cinco empresas. Ambos fecharam acordo de delação premiada no ano passado, depois de terem confessado ter atuado junto à OAS e a à UTC.

Chahin divulgou nota dizendo que o MP propôs o arquivamento da investigação por não haver relação dele com atos criminosos praticados pela dupla. Ele afirmou ainda que a lei orgânica da Polícia Civil permite que agentes tenham participação acionária em empresas se não forem administradores.

*Informações do repórter Tiago Muniz