Wanderley Nogueira rebate ironia de Andrés e avisa: “aguarde um pouco mais”

  • Por Jovem Pan
  • 01/02/2018 16h23
Montagem sobre fotosO jornalista Wanderley Nogueira, da Rádio Jovem Pan, rebateu a ironia de Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians

Na última terça-feira, em participação exclusiva no Esporte em Discussão, o deputado federal (PT-SP) e candidato à presidência do Corinthians, Andrés Sanchez, ironizou uma informação divulgada no dia 13 de dezembro pelo jornalista Wanderley Nogueira, da Rádio Jovem Pan. Wanderley escrevera em seu blog que o nome de Andrés Sanchez havia sido citado nos depoimentos do ex-presidente da CBF José Maria Marin e do empresário J. Hawilla e que, por isso, estava nos autos da Justiça dos EUA.

Andrés afirmou o seguinte no Esporte em Discussão: “eu não tenho dinheiro para comprar, então… Ele (Wanderley) pode comprar uma passagem para mim no mês que vem para os Estados Unidos, para a gente viajar juntos, e ele ver se eu estou sendo investigado pelo FBI, se eles estão atrás de mim… Eu vou junto com ele, porque, aí, se eu for preso, ele é o primeiro a me entrevistar, né?! Ele colocou o meu nome numa lista, mas não é verdade”.

Wanderley Nogueira, que está de férias e, por isso, não participou do programa no dia da entrevista com Andrés, usou as redes sociais para rebater o ex-presidente do Corinthians. Wanderley confirmou que o nome do deputado está nos autos da Justiça americana e ainda prometeu que, assim que retornar de férias, dará mais detalhes sobre “o que diz a Justiça americana sobre ele”.

Confira, abaixo, a resposta de Wanderley Nogueira a Andrés Sanchez:

“O deputado federal, ex-presidente do Corinthians e candidato à presidência do clube, Andrés Sanchez, participou do “Esporte em Discussão” da Jovem Pan. Eu não participei. Estou em férias. Em um determinado momento do programa, ele disse que se eu quisesse comprar uma passagem para ele para Miami ou NY, eu poderia ir junto e, se ele fosse preso, eu seria o primeiro a entrevistá-lo.

Andrés reclamou que eu listei vários nomes que foram citados nos processos montados pelo FBI/INTERPOL. Disse que não era verdade. Sobre esse depoimento, tenho algumas coisas para dizer:

1) Todos os nomes que eu listei estão nos autos montados pela Justiça americana, e o nome de Andrés Sanchez é um deles.

2) Com relação à passagem para os Estados Unidos, eu não compraria uma para ele. Talvez ele tenha dito isso porque já teve passagens aéreas pagas por amigos de negócios para os Estados Unidos…

3) Se eu estivesse perto dele no momento da sua prisão, sim…iria entrevistá-lo.

4) O fato de ele citar uma possível viagem para Miami é razoável. Afinal, ele tem uma propriedade naquela cidade, e as autoridades americanas precisam acertar alguns documentos para regularizar o imóvel… desde compra.

5) Para atendê-lo, acabei de dar uma pausa nas minhas férias para esclarecer ainda mais o que diz a Justiça americana sobre ele. Apenas peço a gentileza de aguardar um pouco mais.”