“Impugnação fortaleceu a minha campanha”, diz Citadini

  • Por Jovem Pan
  • 23/01/2018 14h25
Youtube/ReproduçãoAntonio Roque Citadini participou do Esporte em Discussão desta terça-feira. Ele é um dos cinco candidatos à presidência do Corinthians

De volta à corrida presidencial do Corinthians após conseguir uma liminar na Justiça, Antonio Roque Citadini acredita que a breve impugnação de sua candidatura o fortaleceu. Em entrevista exclusiva ao Esporte em Discussão desta terça-feira, na Rádio Jovem Pan, o jurista de 67 anos celebrou a vitória na Justiça e ironizou a tentativa dos rivais de tirá-lo da briga pela presidência alvinegra.

“Houve um fortalecimento da minha campanha. Isso é bastante claro. Nos últimos 15 dias, praticamente só tem saído notícia da minha campanha. Boa, ruim, parcial ou imparcial, mas só da minha campanha. Então, eu acho que fortaleceu, até porque se esclareceu toda a situação”.

Antonio Roque Citadini teve a candidatura impugnada por ser conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, algo que o impediria de assumir qualquer cargo administrativo no Corinthians.

A liminar concedida na última segunda-feira, no entanto, definiu que tal fato não poderia impedi-lo de disputar a eleição, mas apenas de exercer a presidência. Assim, o dirigente foi liberado para concorrer e deve se desligar do cargo no tribunal caso vença o pleito.

“Uma coisa é disputar a eleição, e a outra, se eu ganhar, é como eu vou exercer a presidência do Corinthians… Se eu vou me licenciar, se eu vou me afastar ou se eu vou me aposentar do tribunal… A alternativa que precisar ser tomada será tomada em prestígio do Corinthians e do tribunal, que eu também não quero prejudicar. Ainda não sei exatamente, mas vou optar pelo melhor caminho, pelo que a lei determinar”.

Antonio Roque Citadini, 67 anos, pertence à chapa “Corinthians + Forte”. Vice-presidente de futebol entre 2001 e 2004, ele se consolidou como o nome mais forte da oposição alvinegra nos últimos anos. Obteve 43% dos votos nas eleições presidenciais de 2015, mas foi derrotado por Roberto de Andrade. Agora, tenta se eleger contra Andrés Sanchez, Felipe Ezabella, Paulo Garcia e Romeu Tuma Júnior. O pleito está marcado para o dia 3 de fevereiro.