Mulher e filha do assassino de Daniel são transferidas para penitenciária feminina

  • Por Jovem Pan
  • 08/11/2018 14h42
ReproduçãoAllana (esq.) e Cristiana Brittes (dir.) serão indiciadas por homicídio qualificado no caso do jogador Daniel

Cristiana e Allana Brittes não estão mais na 1ª Delegacia Regional de São José dos Pinhais. A mulher e filha de Edison Brittes, assassino confesso do jogador Daniel, foram transferidas na tarde desta quinta-feira para a Penitenciária Feminina de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. A informação foi revelada por Marcos Xavier, editor do jornal A Gazeta do Povo, em participação exclusiva no Esporte em Discussão desta quinta, na Rádio Jovem Pan.

Segundo Xavier, Cristiana e Allana, que foram presas preventivamente, ou seja, por 30 dias, fizeram exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba nesta manhã e foram levadas no início da tarde ao sistema prisional do estado do Paraná.

Além de Edison, elas também serão indiciadas por homicídio qualificado no caso do ex-meio-campista do São Paulo.

Há ainda outros 4 suspeitos de terem participado das agressões. Um deles foi preso em Foz do Iguaçu. É o primo de Cristiana Brittes, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, de 19 anos. Outros dois se apresentaram na delegacia: David Willian Villero Silva, de 18 anos, e Igor King, de 20. Eles vão prestar depoimento e ficarão presos preventivamente.

Outro suspeito de participar das agressões é o filho de Jairo Melo, ex-vice-prefeito de São José dos Pinhais. Edison tentou acobertá-lo em depoimento nesta quarta-feira.

As últimas horas de investigação do caso trouxeram muitas novidades, como uma contradição no depoimento de Edison e a informação de que Daniel pode ter sido convidado pelo assassino a fazer sexo com Cristiana, o que desmentiria a tese de tentativa de estupro por parte do jogador.