Acusado de matar advogada vai a júri popular no Paraná

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2019 08h25
Reprodução/FacebookLuis Felipe Manvailer será julgado pela morte de Tatiane Spitzner

A Justiça determinou que Luis Felipe Manvailer, acusado pelo Ministério Público do Paraná de ter assassinato a esposa, a advogada Tatiane Spitzner vá ao Tribunal do Júri pelos crimes de homicídio qualificado e fraude processual. A decisão foi dada em sentença de pronúncia nesta sexta-feira (17).

A juíza absolveu o réu do crime de cárcere privado e determinou ainda que a prisão preventiva do acusado seja mantida. Luis Felipe Manvailer foi acusado por homicídio qualificado, asfixia, dificultar a defesa da vítima, além de feminicídio.

A advogada Tatiane Spitzner foi encontrada morta na madrugada do dia 22 de julho no apartamento em que morava em Guarapuava. De acordo com a Polícia Militar houve um chamado informando que uma mulher teria saltado ou sido jogada de um prédio.

A polícia informou que encontrou sangue na calçada ao chegar no local. Testemunhas disseram que um homem carregou o corpo para dentro do edifício.

De acordo com a PM, o corpo de Tatiane estava dentro do apartamento. Luis Felipe Manvailer foi preso horas depois da morte da advogada ao se envolver em um acidente na BR-277, em São Miguel do Iguaçu, no oeste do Paraná.