Alabama, nos EUA, proíbe aborto até em casos de estupro

A aprovação contraria decisão da Suprema Corte em 1973

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2019 08h17
PixabayA legislação criminaliza o procedimento para médicos, que poderão ser acusados de crime grave e pegar até 99 anos de prisão

O Senado do Alabama, Estado conservador onde os republicanos controlam o Legislativo, aprovou uma medida que proíbe quase todos os abortos, contrariando a decisão da Suprema Corte em 1973, que reconheceu o direito constitucional da mulher a interromper a gravidez.

A legislação criminaliza o procedimento para médicos, que poderão ser acusados de crime grave e pegar até 99 anos de prisão.

Ela inclui uma exceção para os casos em que a vida da mãe corre sério risco, mas não casos de estupro ou incesto, tema de forte debate entre legisladores nos últimos dias.

A lei foi aprovada com os votos de 25 senadores, todos eles homens e membros do Partido Republicano. A Casa tem 35 assentos, dos quais apenas quatro são ocupados por mulheres.

A Câmara aprovou a medida no mês passado. Agora ela vai para a decisão da governadora republicana Kay Ivey, que embora não tenha se comprometido publicamente, deve a assinar a lei nos próximos dias.

*Informações do repórter Victor Moraes