Alckmin: Ocupações de espaços culturais em SP possuem conotação política

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2016 09h04
A Casa das Rosas foi projetada pelo escritório de Ramos de Azevedo pouco antes de sua morte

O governador de São Paulo afirmou que ocupações da Fábrica de Cultura e outros espaços de convivência do Estado são atos de conotação política.

No sábado (16), a Justiça ordenou a reintegração de posse da Fábrica de Cultura do Capão Redondo, que estava invadida há 51 dias. Depois disso, parte dos aprendizes que protestavam decidiram fazer manifestação na Casa das Rosas, na avenida Paulista.

A Casa das Rosas foi reintegrada no mesmo dia; o governador Geraldo Alckmin disse que esta e outras ocupações tem caráter de reclamação política.

“O que nós tivemos sábado é também um movimento político. Só no sábado houve a desocupação da Fábrica da Cultura, depois as invasões na Casa das Rosas e de uma fazenda em Ribeirão Preto. Então teve três desocupações no mesmo dia. Não é razoável”, avaliou.

Os manifestantes dizem que o programa sofre cortes orçamentários e, desde junho, os educadores estão em greve contra demissões em massa.

No começo do mês, a justiça já havia permitido a reintegração de posse da Fábrica de Cultura da Brasilândia, na Zona Norte.

*Informações do repórter Tiago Muniz