Após divulgação de dados, ministro da Educação diz que Ensino Médio está no fundo do poço

  • Por Jovem Pan
  • 31/08/2018 06h50
Agência Brasil"Quando a gente olha para o resultado do Ensino Médio onde 70% dos jovens, em português e matemática, têm resultados insuficientes, é dizer que estamos na falência", disse

O Ministério da Educação apresentou dados preocupantes sobre a educação básica brasileira. Apenas 1,6% dos estudantes do ensino médio demonstram níveis de aprendizado considerados adequados em língua portuguesa.

Em matemática a situação não é muito diferente: somente 4,5% dos estudantes dessa etapa tem conhecimento adequado. Sete em cada dez alunos do ensino médio tem nível insuficiente nas disciplinas.

Os dados fazem parte do Sistema de avaliação da educação básica, divulgado pelo MEC e pelo Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais, nesta quinta-feira (30).

O ministro da Educação, Rossieli Soares, afirmou que o ensino médio está no fundo do poço: “quando a gente olha para o resultado do Ensino Médio onde 70% dos jovens, em português e matemática, têm resultados insuficientes, é dizer que estamos na falência, no fundo do poço com o nosso Ensino Médio”.

Rossieli Soares avisou ainda que se nada for feito pelo ensino médio brasileiro, até 2021, os anos finais do ensino fundamental vão superar em aprendizagem os alunos que estão saindo da educação básica. “Ter o 9º ano na escala de proficiência com 10 pontos de diferença para o 3º ano do Ensino Médio é porque estamos agregando pouco ou quase nada dentro do Ensino Médio brasileiro. Essa transformação precisa ser feita”, disse.

No caso específico do ensino fundamental, todos os estados apresentaram melhora no desempenho da aprendizagem. Mas os resultados estão longe do ideal.

O 5º ano revelou avanços no desempenho de Língua Portuguesa e Matemática. Nessas duas áreas do conhecimento os estudantes brasileiros apresentam nível de conhecimento básico. No 9º ano do Ensino Fundamental também há avanços, porém menores.

Ao final dessa etapa os estudantes brasileiros apresentaram nível insuficiente de conhecimento. As provas foram aplicadas no ano passado a mais de 5,4 milhões de estudantes.

*Informações do repórter Arthur Scotti