BC perdeu a moral e tenta resgatá-la da forma errada, diz ex-presidente do BNDES

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2016 10h45
Cédulas de dinheiro. Foto: Marcos Santos/USP Imagensdinheiro

 Para o economista, ex-ministro das Comunicações e ex-diretor do BNDES, Luiz Carlos Mendonça de Barros, o Banco Central comete um erro ao tentar conter a inflação com o aumento da taxa de juros: “É um erro duplo. (O Banco Central) Errou quando abaixou e a demanda estava muito forte e se subir agora erra porque a demanda está colapsando, portanto o serviço dos juros sobre a inflação já está fazendo o seu efeito”. Barros acrescenta que essa é uma “independência burra” do BC uma vez que a demanda está em baixa, e diz: “A credibilidade do BC é atuar corretamente sobre a dinâmica da inflação. (…) Ele perdeu a moral e tenta resgatá-la fazendo uma coisa errada”.

Luiz Mendonça de Barros explica que a política fiscal é independente da monetária: “Uma coisa não tem nada a ver com a outra, tem que ter credibilidade na política fiscal e na política monetária, mas não se compensa a falta de credibilidade na política fiscal fazendo um movimento errado na política monetária”.

O ex-ministro não acredita que será possível ver uma mudança na política fiscal ainda no governo Dilma Rousseff: “Ela tem que acordar para a questão fiscal, mas acho muito difícil porque no arcabouço ideológico dela esse problema não existe. Acho que vamos continuar com a política fiscal, que é melhor do que era no passado porque não temos mais as pedaladas e outros instrumentos de expansão, mas também não tem nenhum movimento correto para resolver um dos grandes problemas do Brasil que é a questão fiscal. Isso vai ficar para o próximo governo”.

Confira a entrevista completa no Jornal da Manhã.