PSL de Bolsonaro faz convenção neste domingo; veja o calendário das siglas

  • Por Jovem Pan
  • 21/07/2018 10h58
Marcelo Camargo/ABrEleição de 2018 terá o menor tempo de campanha oficial das últimas eleições; nenhum dos principais pré-candidatos ainda anunciou seu vice

O PDT de Ciro Gomes, sem alianças, o PSC e o PSTU já realizaram suas convenções para escolha de candidatos à Presidência da República nesta sexta (20). O PSOL realizou o encontro neste sábado (21) e confirmou o nome do líder do MST Guilherme Boulos como candidato.

Este domingo (22) é o dia da convenção do PSL de Jair Bolsonaro, sendo que o prazo para realizar os encontros termina no próximo dia 05 de agosto.

Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto sem a presença do ex-presidente Lula, ainda está isolado em termos de alianças. O militar pré-candidato ainda não escolheu seu nome para vice na chapa, mas cogita o general Antonio Mourão, que já defendeu intervenção militar, e a advogada que assinou o impeachment de Dilma Rousseff, Janaína Paschoal.

O PT, que deve confirmar o nome do ex-presidente Lula como candidato, mesmo preso, e o PSDB do ex-governador Geraldo Alckmin fazem suas convenções no finalzinho do prazo, só no dia 4 de agosto, um sábado, mesmo dia da Rede de Marina Silva e o Podemos, de Álvaro Dias.

Veja o calendário e os locais das convenções dos partidos:

20/07 – PDT – Ciro Gomes – Brasília (DF)
20/07 – PSC – Paulo Rabello de Castro – Brasília (DF)
20/07 –  PSTU – Vera Lúcia – São Paulo (SP)
21/07  – PSOL – Guilherme Boulos – São Paulo (SP)
21/07 – Avante – sem pré-candidato – Belo Horizonte (MG)
21/07 – PMN – sem pré-candidato – Brasília (DF)
22/07 – PSL – Jair Bolsonaro – Rio de Janeiro (RJ)
28/07 – Democracia Cristã – José Maria Eymael – São Paulo (SP)
28/07  – PTB – sem pré-candidato – Brasília (DF)
28/07 – PV – sem pré-candidato – Brasilia (DF)
28/07 – PSD – sem pré-candidato – São Paulo (SP)
01/08 – PCdoB – Manuela D’Ávila – Brasília (DF)
02/08 – MDB – Henrique Meirelles – Brasília (DF)
02/08 – DEM – Rodrigo Maia Indefinido
02/08 – PP sem pré-candidato – Brasília (DF)
04/08 – PT – Luiz Inácio Lula da Silva – São Paulo (SP)
04/08 – PSDB – Geraldo Alckmin – Brasília (DF)
04/08 – Novo – João Amoêdo – São Paulo (SP)
04/08 – Rede – Marina Silva – Brasilia (DF)
04/08 – Podemos – Álvaro Dias – Curitiba (PR)
04/08 – PPS – sem pré-candidato – Brasília (DF)
04/08 – PR – sem pré-candidato – Brasília (DF)
05/08 – PRTB – Levy Fidelix – São Paulo (SP)
05/08 – PSB – sem pré-candidato – Brasília (DF)

Aliança de Alckmin e eleição peculiar

Na próxima quinta-feira, o pré-candidato tucano Geraldo Alckmin e o centrão pretendem oficializar o acordo que vai garantir a Alckmin quase metade do tempo da propaganda no rádio e na televisão.

O cientista político Rafael Cortez, avalia que isso pode abrir o que ele chama de uma janela de oportunidade, mas ressalta que ainda há questões que precisam ser avaliadas.

“Ao fazer um acordo tão amplo com partidos associados à política tradicional, que pertenceram à base de um governo mal avaliado, o eleitor associaria as práticas da campanha do Alckmin com o que a gente vê hoje no plano nacional, dificultando a mobilização do eleitorado”, ponderou Cortez.

Ele ressaltou, no entanto, que o tucano, dificilmente sem o apoio do chamado blocão, conseguiria romper o domínio que hoje é de Jair Bolsonaro do PSL.

Rafael Cortez admite que a maior particularidade dessa eleição é o fato de ninguém ainda ter vice. Outro ponto que ele ressalta é que o candidato do Palácio do Planalto, que deverá ser Henrique Meirelles, não deverá ter o apoio de nenhum partido da chamada base aliada.

Com informações são da repórter Jovem Pan Luciana Verdolin, de Brasília para o Jornal da Manhã