Buscas por desaparecidos em Brumadinho chegam a 80 dias e sem data para término

  • Por Jovem Pan
  • 15/04/2019 06h27
Antonio Lacerda/EFEO tenente-coronel da corporação, Anderson Passos, afirmou que as buscas continuam sem data para término

Quase 50 pessoas continuam desaparecidas, após 80 dias de buscas se completarem nesta segunda-feira (15) em Brumadinho. No dia 25 de janeiro, a barragem da Mina Córrego do Feijão da mineradora Vale se rompeu, matando centenas de pessoas e contaminando o Rio Paraopeba.

O mar de lama devastou a área administrativa da mineradora, incluindo o refeitório, onde muitos trabalhadores almoçavam no momento do rompimento e bairros da cidade.

138 bombeiros militares e cães farejadores permanecem à procura de corpos, em 19 frentes de trabalho, utilizando 73 máquinas pesadas.

Neste final de semana, um caminhão reboque foi encontrado soterrado. Uma segunda locomotiva também foi localizada em meio a lama. 10 mil litros de diesel foram retirados do tanque, pra evitar incêndio e contaminação ambiental.

Em nota o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais chama atenção para gigantesca quantidade de rejeitos ainda existente e relatam que “o solo está cada vez mais difícil de andar e trabalhar”.

O tenente-coronel da corporação, Anderson Passos, afirmou que as buscas continuam sem data para término: “o apoio da comunidade e dos voluntários foi fundamental para que conseguíssemos chegar até aqui com muito êxito e sem nenhuma outra pessoa ferida mais”.

O número de mortos identificados pela Polícia Civil de Minas Gerais subiu para 228.

*Informações da repórter Victoria Abel