Cade investiga suposto cartel em obras de estádios para a Copa de 2014

  • Por Jovem Pan
  • 18/07/2019 09h54
DivulgaçãoA Arena Fonte Nova, em Salvador, é um dos oito estádios feitos para a Copa do Mundo de 2014 que está com a licitação sendo apurada

A Superintendência-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica abriu processo para investigar um suposto cartel em obras de construção e reforma de instalações esportivas destinadas à Copa do Mundo de 2014.

Segundo o Cade, a investigação começou com o acordo de leniência, que é uma espécie de delação premiada para empresas, com a construtora Andrade Gutierrez e executivos e ex-executivos da empreiteira.

No trato, a Companhia apresentou informações e documentos que apontavam indícios de conluio entre concorrentes de licitações destinadas às obras em estádios de futebol para realização do mundial.

As empresas investigadas por suposta participação no cartel são: Andrade Gutierrez, Carioca Engenharia, Camargo Corrêa, OAS, Queiroz Galvão, Delta, Grupo Odebrecht e Via Engenharia. Trinta e seis pessoas físicas também estão sendo alvo das acusações.

O Cade informa que há indícios de que os contatos entre concorrentes teriam se iniciado com a definição do Brasil como sede pela FIFA, em outubro de 2007, tendo se intensificado no segundo semestre de 2008.

O cartel teria atuado até pelo menos meados de 2011, quando foram assinados os contratos referentes às obras públicas dos estádios de futebol para a Copa do Mundo.

Oito licitações estão sendo apuradas:
Do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília;
Arena Amazônia, em Manaus;
Arena Pernambuco, em Recife;
Maracanã, no Rio de Janeiro;
Mineirão, em Belo Horizonte;
Castelão, em Fortaleza;
Arena das Dunas, em Natal e
Fonte Nova, em Salvador.

A superintendência do Cade investiga também licitações complementares aos certames principais, que podem ter sido afetadas pelos acordos ilícitos.

*Com informações do repórter Daniel Lian