China vai inspecionar frigoríficos brasileiros por vídeo nesta sexta-feira

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2019 07h13
EFENeste ano, China comprou 91.200 mil toneladas de carne suína brasileira

A China vai inspecionar quatro frigoríficos brasileiros de aves e suínos para decidir se libera as unidades para importações. O procedimento será realizado nesta sexta-feira (19), por meio de videoconferência, com funcionários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) responsáveis pela transmissão.

O vice-presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal, Ricardo Santin, disse que a novidade na forma de fazer auditoria mostra confiança por parte do governo chinês nos produtos brasileiros.  De acordo com ele, os frigoríficos que serão inspecionados correspondem aos padrões exigidos pelos chineses.

“Esses standares já foram alcançados pela nossa produção, e estão demonstrados em questionários técnicos, que foram revisados pelo Mapa, e entregues a autoridades chinesas. Agora a autoridade virá virtualmente as nossas plantas, como já fez no passado fisicamente. Dessa vez a novidade será virtualmente, visitar as plantas ao mesmo tempo em que nós estamos aqui, por telefone”, disse.

Para a inspeção desta sexta, o governo chinês escolheu um nome de uma lista apresentada pelo governo brasileiro e entidades do setor escolheram outras três plantas.

As conversas entre a pasta da Agricultura brasileira e o chinesa para liberar as exportações de frigoríficos do Brasil avançaram nos últimos meses.

O gigante asiático sofre com um surto de peste suína africana que levou ao abate de mais de 4 milhões de animais. O país já recorria a carne de porco de outros países para dar conta da demanda e, com a epidemia da doença, a demanda por proteína animal ficou ainda mais forte.

Somente no primeiro semestre, a China comprou 91.200 mil toneladas de carne suína brasileira, um aumento de 30,7% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Em maio, a ministra Tereza Cristina esteve no continente e se reuniu com as autoridades para discutir a liberação de algumas unidades frigoríficas para exportar para a China. Após o encontro, o Mapa enviou uma lista com 30 frigoríficos para obter autorização para embarcar produtos.

A expectativa é que o governo chinês apresente em breve os resultados das inspeções realizadas por videoconferência nesta sexta.

*Com informações da repórter Nanny Cox