Corpo de rapper morto em 2015 desaparece de um dos principais cemitérios do Rio de Janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 19/05/2018 10h04
Tomaz Silva/ Agência BrasilCemitério São João Batista, em Botafogo, é um dos mais procurados e mais caros do Rio de Janeiro

Família diz que corpo de rapper assassinado em 2015 foi roubado do principal cemitério da cidade do Rio de Janeiro. A família do rapper Diego Rodrigues Luniére de 22 anos de idade, que era conhecido como De Cria Luniére, foi roubado, desapareceu do cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul da capital.

Lá estão enterrados os corpos de personalidades, pessoas da alta sociedade. E é um dos cemitérios mais procurados e mais caros do Rio de Janeiro. O rapper morreu ao sair de casa, no morro do Fallet, em Santa Teresa, na região central, em abril de 2015.

Nesta sexta-feira, parentes do rapper tiveram no cemitério São João Batista para fazer a exumação do corpo e aí veio a surpresa. Em vez do corpo de De cria ali estava o corpo de uma mulher, de uma idosa de 84 anos de idade.

O desaparecimento do corpo do cemitério São João Batista virou caso de polícia. A mãe de De Cria foi até a delegacia do bairro e prestou queixa. Além disso, a administração do cemitério também abriu a investigação e começou ouvir funcionários para tentar entender como o corpo do rapper sumiu da sepultura no cemitério mais famoso da cidade.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga