Covas não dá previsão para fim de obra em viaduto, mas garante que ‘nenhuma informação será escondida’

  • Por Jovem Pan
  • 21/11/2018 09h03
Roberto Casimiro/Estadão Conteúdo"Tão logo a gente tenha [prazo] vamos anunciar. Nenhuma informação será escondida”, garantiu o prefeito

Na volta de um feriado prolongado de seis dias, iniciado na última quinta-feira (15), o paulistano encontra um trânsito na Marginal Pinheiros dentro da expectativa da Prefeitura, que era de 30% acima do limite histórico. Na manhã desta quarta-feira (21) por volta das 8h30, segundo o prefeito Bruno Covas, em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o engarrafamento estava 20% acima do normal.

Sobre as obras no viaduto que cedeu no último dia 15, Bruno Covas ressaltou que “ainda não é possível estabelecer qual a obra de engenharia a ser feita para remediar o viaduto. Tão logo a gente tenha [prazo] vamos anunciar. Nenhuma informação será escondida”.

O grande problema encontrado pela Prefeitura, entretanto, está no sumiço do projeto do viaduto que cedeu na região. A Prefeitura já conseguiu localizar um dos engenheiros que participou da construção e planejamento do elevado, e o trouxe do Guarujá, no litoral paulista, para a capital. O engenheiro responsável pela obra já faleceu e sua ex-esposa não possui os projetos originais, o que dificulta o trabalho da Secretaria de Obras da cidade.

As conversas com o engenheiro localizado já começaram, mas ainda não é possível falar em causa ou métodos de reparação e nem prazos para retorno à normalidade. A expectativa é que haja melhoria na busca de soluções, já que os projetos originais desapareceram.

Intervenções na via

O trânsito na região da Marginal Pinheiros ocorre de forma mais acentuada nesta quarta por conta do viaduto que cedeu no último dia 15 e que obrigou a Prefeitura a interditar a pista expressa da via e direcionar os veículos para outros pontos e para a pista local.

Segundo Bruno Covas, das 10 intervenções planejadas, apenas quatro foram feitas. “A todo momento estamos avaliando junto com a Secretaria de Obras e a CET e novas operações vão sendo feitas”, disse o prefeito.

Reunião com taxistas e aplicativos

Bruno Covas também destacou a colaboração da população para usar o transporte público, o que colaborou para que o trânsito no local não fosse pior.

Na tarde desta quarta-feira, a Prefeitura de São Paulo deve se reunir com taxistas e aplicativos de transporte para planejar ações com tarifas específicas para as próximas semanas para quem for trafegar em áreas próximas à Marginal Pinheiros.

Fiscalização de outras pontes e viadutos

O prefeito garantiu que a Prefeitura está em busca de licitação emergencial para a fiscalização de outras 185 pontes e viadutos na cidade de São Paulo.

Além do viaduto que cedeu na última quinta, uma outra ponte causou temor entre motoristas por conta de sua situação: a Ponte do Limão, na região norte da capital.

Segundo Covas, a rachadura na ponte deve ser encarada como uma “mancha na pele”. “Pode ser apenas um limão que esteve em contato com a pele esta foi exposta ao sol ou pode ser um câncer de pele. É preciso estudar para ver a patologia”, disse ao defender mais que uma constatação visual.

“Não há nenhum risco estruturante. Hoje a Secretaria de Subprefeituras está corrigindo aquela deficiência”, garantiu o tucano.

Confira a entrevista completa com o prefeito de São Paulo, Bruno Covas: