Doria diz que Skaf fez opção de apoiar a esquerda ao aliar-se a Márcio França: ‘Volta ao seu berço’

  • Por Jovem Pan
  • 11/10/2018 07h13
Hélvio Romero/Estadão Conteúdo“Em relação a Paulo Skaf, é o Lava Jato que encontra a esquerda", disse Doria

O candidato do PSDB ao governo de São Paulo, João Doria, minimizou impacto de racha no partido. Após reunião nacional com gritos de “traidor” e vazada em gravação a imprensa, o presidente Geraldo Alckmin defendeu a neutralidade tucana no segundo turno.

Doria foi cobrado pelo apoio a Jair Bolsonaro, mas garantiu que os diretórios estão liberados: “aqui em São Paulo a nossa decisão está ratificada e vamos apoiar Bolsonaro à Presidência aqui em São Paulo”.

No momento em que Doria visitava o Hospital Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte da capital, Paulo Skaf anunciou apoio a Márcio França (PSB).

“Em relação a Paulo Skaf, é o Lava Jato que encontra a esquerda. Muito adequado, porque a esquerda foi a que produziu maior número de Lava Jatos ao longo desses ultimos anos e maior número de condenações de petistas. Skaf fez opção clara, que é apoiar a esquerda, aliás, voltar ao seu berço”, disse Doria.

O tucano repetiu que o PSDB precisa sair do muro, negou possível saída e defendeu a mudança do partido. Nesta quinta-feira (11), Doria recebe o apoio do PRTB.

Confira a cobertura completa das Eleições 2018

*Informações do repórter Marcelo Mattos