Doria exalta Carnaval em São Paulo e justifica presença em festas no Rio e Salvador

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2018 09h08
Cristina Novinsky/Estadão ConteúdoDoria disse que “os acertos foram bem maiores que os problemas” e que o que foi prometido no início do mandato, em janeiro do ano passado, foi cumprido

Após cerca de 9,1 milhões de foliões comemorarem o Carnaval em São Paulo, o prefeito João Doria (PSDB) exaltou a realização do evento que, neste ano, descentralizou para outras regiões e tomou avenidas importantes como a 23 de Maio, e atingiu regiões antes não utilizadas para passagem de blocos.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, Doria disse que “os acertos foram bem maiores que os problemas” e que o que foi prometido no início do mandato, em janeiro do ano passado, foi cumprido. “Havíamos prometido, mas com menos de 40 dias de mandato. Esse ano um Carnaval maior, melhor e mais descentralizado e prometemos a Avenida 23 de Maio. E foi exatamente o que aconteceu. Aspectos positivos. Aumentamos fluxo de turismo para a cidade”, exaltou.

Doria ainda afirmou que o bloco da cantora Anitta pode ser uma das atrações no Carnaval de rua de 2019.

Sobre o que pode ser usado como lição no Carnaval deste ano, o prefeito ressaltou a grande presença de público e a economia de quase R$ 500 milhões movimentados no setor de serviços.

Ao dizer sobre onde há pontos de melhora, João Doria destacou a sinalização no entorno da 23 de Maio, de modo a garantir acesso a hospitais, aumento de volume de banheiros químicos e melhorar a limpeza.

Fora isso, o tucano apontou que a lei que multa aqueles que urinarem na rua continuará: “foram emitidas 488 multas da lei do xixi”.

Carnaval do RJ e BA

Convidado por Marcelo Crivella e ACM Neto para visitar os carnavais de Rio de Janeiro e Salvador, respectivamente, o prefeito de São Paulo disse ter aceitado o convite feito em dezembro pelos políticos.

Questionado por não ter ficado em SP durante todo o Carnaval, ou até mesmo visitado cidades do interior paulista, Doria foi categórico: “se tivesse feito isso, classificariam minha ação de eleitoreira”.

Confira a entrevista com o prefeito de São Paulo, João Doria: