Em novo acordo, Vale pagará até um salário-mínimo a todo morador de Brumadinho

  • Por Jovem Pan
  • 21/02/2019 06h59
ANTONIO LACERDA/EFEA tragédia já deixa 171 mortes identificadas e 139 desaparecidos

A Vale fechou junto a órgãos de justiça mais um Termo de Acordo Preliminar para pagamentos emergenciais para todos os moradores de Brumadinho. Também receberão o pagamento as comunidades que vivem até 1 km do leito do Rio Paraopeba, desde Brumadinho até a represa de Retiro Baixo.

Os valores foram estabelecidos em um salário-mínimo por adulto a toda a população de Brumadinho, meio salário-mínimo para adolescentes e um quarto de salário-mínimo para cada criança.

As conversas, no entanto, ainda não foram encerradas e no dia 7 de março haverá mais uma audiência para tratar questões não atendidas.

Nesta semana, a Vale também ratificou proposta de Acordo Preliminar para as comunidades atingidas pelo rompimento da Barragem de Mina do Feijão. Aos moradores que perderam suas casas ou propriedades produtivas, como nos bairros de Córrego do Feijão e Parque das Cachoeiras, a empresa se comprometeu a pagar até R$ 12 mil em 12 parcelas mensais.

Bombeiros envolvidos nas buscas em Brumadinho podem estar contaminados com metais pesados presentes da lama da região. Nesta quarta-feira (20) , o governo de Minas Gerais informou ter detectado níveis anormais de metais no organismo de profissionais do Corpo de Bombeiros Militar do estado.

Três exames laboratoriais indicaram uma elevada quantidade de alumínio nos corpos dos agentes. O governo mineiro ressaltou, no entanto, que após a interrupção da exposição, é esperado que os níveis de metal no organismo sejam normalizados.

A tragédia já deixa 171 mortes identificadas e 139 desaparecidos.

*Informações da repórter Victoria Abel