Empresas globais se unem para reduzir volume de plásticos nos oceanos

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2019 07h17
PixabayCerca de 30 empresas globais dos setores de plásticos e bens de consumo estão participando desse movimento

Durante o #10YearsChallenge, desafio nas redes sociais onde colocamos uma foto de 10 anos atrás e uma atual, a brincadeira pegou, mas também ganhou status de conscientização ambiental. Por exemplo, a comparação de uma geleira, que vem sumindo com o passar do tempo e hoje ela quase não existe. Ou ainda a foto de um urso, que em 2009 estava forte, saudável e ficou esquelético por causa da destruição que causamos no ecossistema.

E uma das coisas que mais atinge o planeta é jogar plástico na rua, na praia, no mar. Por isso, a Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos dedicou 1 bilhão de dólares a projetos e desenvolvimento de tecnologias para acabar com o descarte no meio ambiente, especialmente nos oceanos.

Cerca de 30 empresas globais dos setores de plásticos e bens de consumo estão participando desse movimento. Entre os integrantes empresas como a Procter & Gamble, Shell Chemical, Total e a petroquímica brasileira Brasken.

Uma pesquisa da Ocean Conservacy mostra que cerca de 80% dos resíduos plásticos nos oceanos começa com o lixo nas cidades. Além disso, cerca de 90% dos que chegam pelos rios vêm dos 10 maiores rios do mundo, oito na Ásia e dois na África.

Dentre os projetos que visam ajudar a dar fim ao descarte de plásticos no meio ambiente proposto pela Aliança dos 30 países estão, por exemplo, parcerias para projetar sistemas integrados de gestão de resíduos em grandes áreas urbanas com baixa infraestrutura. E também já que vem muita sujeira dos rios, capturar os plásticos antes que eles cheguem ao oceano.

*Informações do repórter Victor Moraes